TEXTOS ILUMINADOS

BOAS MENSAGENS!

Páscoa: tempo de perdão e renovação.


Uma época para refletir sobre nossa vida e nossos atos. A Páscoa é, para os cristãos, uma data marcada pelo agradecimento a Jesus pelo seu sacrifício. Desde o domingo de ramos, dia que antecede uma semana ao renascimento de Cristo, os católicos entram em um período de devoção e reflexão. É uma semana ainda mais especial que as outras.

Origem da data

A Páscoa é comemorada de formas diferentes em vários países. O termo “Páscoa” deriva do latim e quer dizer “Pascha”, em hebraico o significado é “Pesach”, isto é, a Páscoa Judaica. O período de comemoração inicia quarenta dias antes do dia da ressurreição de Cristo, a chamada “Quaresma”. No Brasil, ela inicia logo após o carnaval, na Quarta Feira de Cinzas e inspira um momento de resguarde e reflexão. A tradição folclórica, oriunda do hemisfério norte, diz que a Quaresma é o marco do fim do inverno e do início da primavera, também chamado de renascimento da terra.

O Ciclo Pascal é composto por três períodos: preparação, celebração e prolongamento. A Quaresma é compreendida como o tempo de preparação. Entre as ações desse momento, estão a abstinência de carne, gestos de caridade e orações. O papa Bento XVI, disse em 2012, na Audiência Geral da Catequese que a Quaresma é “um número que exprime o tempo da expectativa, da purificação, do regresso ao Senhor e da consciência de que Deus é fiel às suas promessas”.

Homenagens

Em memória de Jesus Cristo, na sexta-feira santa, e em alguns lugares na quinta-feira santa, são realizadas procissões, como forma de lembrar todo o mártir de Cristo até a chegada à cruz. Durante as procissões, são realizadas várias paradas, nas chamadas “estações”. Cada estação representa o calvário pelo qual cristo passou antes da crucificação: são 14 estações retiradas do Evangelho. Desde o carregamento da cruz, o encontro com sua mãe, suas quedas e seus gestos de amor, mesmo estando prestes a morrer. Nesse dia, muitas encenações também são realizadas por grupos de teatro.

 Fora as homenagens, na Sexta-feira Santa, os cristãos preferem o silêncio. É um dia para lembrar-se do filho de Deus que deu a sua vida para salvar a humanidade. Esse ato faz parte da celebração.

Domingo de Páscoa

Nesse dia é celebrada a ressurreição de cristo, e sua primeira aparição entre os discípulos, como mostra a bíblia. Esse dia é lembrado com agradecimentos, missas matinais e a troca dos ovos de páscoa, um costume muito antigo que representa o “túmulo vazio”, mostrando que cristo não estava mais morto.

Entretanto, a Páscoa já era comemorada muito antes da morte e ressurreição de Cristo. Ele próprio já havia participado de várias celebrações em alusão a data, que na época lembrava o fim da escravidão no Egito, que durou 400 anos. A mais conhecida participação de Jesus em uma comemoração da data pode ser encontrada no Evangelho, a chamada “Santa Ceia”. Ele participou da comunhão do corpo e do sangue, representados pelo pão e vinho, alimentos que são símbolos pascais utilizados até os dias de hoje. O prolongamento é comemorado com o chamado Pentecostes, 50 dias após o último dia do
Ciclo Pascal, com a volta de Jesus. O Pentecostes celebra a vinda do Espírito Santo, que tem como objetivo reforçar a presença e os testemunhos de Cristo em nossas vidas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário